Você quer desenvolver um software ágil para a sua empresa do seu jeito? Então, é com a expertise que somente a Crosoften  possui.

O desenvolvimento ágil se popularizou, ganhando espaço em inúmeras empresas. Aliás, também ganhou destaque nos métodos produtivos em cada setor e negócios. Portanto, os objetivos são a melhoria da produtividade, da qualidade e a redução de custos.

O que é um método ágil?

Em linhas gerais, a metodologia de desenvolvimento de software ágil, é uma forma de construir e desenvolver softwares. Que possibilita obter as vantagens do sistema antes mesmo de ele estar pronto.

Desse modo, as vantagens de sua aplicação são inúmeras. Como a diferenciação do ciclo de vida do projeto, a entrega, o planejamento, a execução e a redução de custos, por exemplo.

O que é um processo de desenvolvimento ágil?

Um processo de desenvolvimento ágil, é uma forma de conduzir projetos que buscam, como o próprio nome já introduz. Assim, dar maior rapidez aos processos, mecanismos e conclusão de tarefas preestabelecidas. 

Além disso, o método do agile é baseado no fluxo de trabalho flexível, sem tantos obstáculos, com total interatividade entre os participantes. Onde o objetivo é criar um ambiente de maior parceria e confiança entre as empresas e corporações.

Nesse sentido, tornando o mercado um ambiente mais prático, leve e com dinâmicas fluidas. Que impacta no resultado final de formas inimagináveis e sem precedentes.

Onde surgiu o desenvolvimento ágil?

O método de desenvolvimento de software ágil é datado do ano de 2001, aproximadamente, no estado de Utah, perto da Califórnia, nos Estados Unidos.

Onde, alguns profissionais do mercado, se encontravam inquietos e insatisfeitos. Com as limitações que o sistema de desenvolvimento tradicional impunha. Desse modo, se organizaram e criaram um protótipo que, logo menos, seria o método de desenvolvimento de software ágil, o Manifesto Ágil. 

As ramificações e os modelos do método de desenvolvimento de software ágil

Você quer desenvolver um software ágil, então você precisa entender mais a fundo as engrenagens, da metodologia de desenvolvimento de software ágil. É preciso ter em mente os quatro pilares básicos. São eles:

  1. O princípio de que indivíduos, as interações são importantes e valem mais que processos e ferramentas.
  2. O software em funcionamento vale mais do que documentação abrangente.
  3. A colaboração com o cliente vale mais do que negociação de contratos.
  4. Responder às mudanças mais que seguir um plano, ou seja, estar sempre aberto às dinamizações que o mercado poderá vir a impor. 

Somado a isso, a busca pelo melhor desempenho de um negócio através do desenvolvimento de software ágil, ocorre seguindo três modelos:

  1. Um modelo Ágil (Full Agile),
  2. O modelo Escopo Priorizadas
  3. O modelo Ágil “para dentro” (Agile to Waterfall Adapter).

Full Agile

Em primeiro lugar, o modelo Ágil (Full Agile), preza pelo bom relacionamento entre os interesses comerciais ou empresariais. Portanto, o planejamento nesse tipo de estratégia, é pensado mais a curto prazo.

Quando o assunto é entregas e datas. A didática é que elas sejam curtas, frequentes e mantendo uma certa constância.

Seguindo essa linha de raciocínio, os planejamentos seguem a dinâmica da não especulação. Ou seja, são feitos para atender às demandas que são entregas curtas, assim a especulação futura é praticamente inexistente.

Ainda nesse ideal do bom relacionamento e ideias a curto prazo. Outra estratégia do modelo Ágil (Full Agile), é a participação e disponibilidade do cliente no projeto em desenvolvimento.

Sendo assim, a relação flui e o cliente também atua como colaborador, direcionando ações e compartilhando perspectivas. Devido a essa relação fluida, em um eventual processo de encerramento do contrato, tudo fica facilitado.

Escopo Priorizados

Passando para o segundo modelo utilizado, nos ideais do Escopo Priorizados. A dinâmica segue uma linha de pensamento, pautada na limitação de custos e algumas imposições de barreiras de escopo.

Assim como na didática Full Agile, a interação com o cliente durante todo o processo é fundamental, mas acontece de forma mais contida. O cliente não atua como coparticipante, mas está sempre interligado com o sistema, visando garantir a dinamização.

Ademais, práticas como o build estável, as entregas contínuas, o código compartilhado, a visibilidade e refactoring. São fundamentais para o funcionamento e a eficiência dessa prática e didática.

Agile to Waterfall Adapter

Por fim, o modelo Ágil “para dentro” (Agile to Waterfall Adapter). Tem como foco a agilidade como dinâmica interna da empresa, sem transparência e interação direta com o fornecedor e o cliente. Além disso, a tática é dividir o escopo em entregas faseadas, pensando mais a longo prazo.

Uma vez que o escopo é trabalhado definitivamente, as validações formais das entregas são previstas em contrato e as garantias são mais bem definidas. Assim, acarreta em visibilidade, capacidade de decisão perante os novos desafios para a empresa e corporação.

Conheça a Crosoften

Você quer desenvolver um software ágil, seja na empresa, na corporação ou no negócio. Com uma influência na produtividade, na gestão de custo, no relacionamento interempresarial e muito mais. Chegou a hora de conhecer a fundo o trabalho da Crosoften e alavancar de vez seu negócio.

A Crosoften, é uma empreiteira digital, que conta com desenvolvedores especialistas na transformação digital e criativos.

Afinal, atuamos no rompimento de barreiras tecnológicas, além de dar uma consultoria de ponta, treinamentos e desenvolvimento ágil de software para os clientes. Portanto, focamos na qualidade além da entrega, que gera valor para as empresas em diversos setores do mercado. Entre em contato e mude o rumo de seu negócio!