Neste artigo iremos falar do “Porque sua startup vai dar errado?” e o que você pode fazer para mudar este cenário?

Afinal, Existem várias pesquisas que apontam que 90% das startups no Brasil falham. Esse número é bastante crítico e significa que grande parte das startups não conseguem ter sucesso e ocasionando na falência dessas empresas.

A startupbase.com.br é um site que divulga dados e estatísticas de startups no Brasil. Onde esta base é mantida pela AB Startups –  Associação Brasileira de Startups – coletando informações pelo próprio cadastramento feito pelos empreendedores da plataforma.

O principal foco da AB Startups, é criar um ambiente apoiando as startups no desenvolvimento, no planejamento e na execução de suas operações.

 

Startups no Brasil

A princípio, no Brasil existem 12.993 startups mapeadas e 77 comunidades de startups de inovação. Onde 4.106 membros envolvidos e 617 cidades onde essas startups estão alocadas.

45% das startups estão no sudeste, são 3.835 no estado de São Paulo, em segundo lugar Minas Gerais, com 1.104 e em terceira posição Rio de Janeiro com.

Consequentemente, segundo lugar, o sul com 17% das startups e em último lugar a região norte e nordeste.

A situação das startups, são 942 startups em fase de ideação. A fase de ideação, é onde o empreendedor tem a ideia, algo que não é palpável. Este empresário está construindo e planejando este produto para lançar no mercado.

Na fase de operação é quando um produto ou aplicativo já está no mercado e que talvez não esteja faturando e são 1.623 startups que estão nesta situação.

Portanto, são 1.994 startups mapeadas. A fase de tração, são as startups que já estão em operação e buscando maior força para o negócio.

Dessa forma, na última fase é a Scale Up que é a fase de ganhar escala. Todavia, é onde a startup vai buscar maior faturamento, maiores investimentos e resultados muitos mais palpáveis. Estão mapeadas 549 startups.

Ainda sim, existe uma quinta fase que é a fora de operação. Inegávelmente, pode ser uma startup que não deu certo, que falhou em qualquer uma das etapas anteriores e hoje são 2.081 neste quadro.

 

Outra estatística muito interessante é a idade das startups.

 

180 startups com menos de 1 ano

578 startups com 1 ano

801 startups com 2 anos

792 startups com 3 anos

903 startups com 4 anos

851 startups com 5 anos

1.567 startups com mais de 6 anos.

 

Modelo de Negócio

O modelo sasc, é o modelo de software as a service que oferece justamente um serviço para os usuários.

Quase 42% das startups trabalham com o software as a service. Salvo que, em segundo lugar o market place, que é a estrutura para que possam realizar vendas e compras de forma online.

Em quarto lugar está o e-commerce, sexto lugar hardware, em sétimo lugar o licenciamento de software e em último lugar com 0,88% das startups, o modelo de negócio API, ofertando técnica para consumo de algum serviço.

 

Sobre o mercado de atuação

De fato, é muito interessante também avaliar os mercados de atuação, onde as startups mais investem.

Em primeiro lugar educação com 7.17% das startups atuando no mercado. Em seguida, na segunda posição, finanças e em terceiro saúde e bem estar.

 

A respeito do faturamento das startups

Ao propósito, a pesquisa diz que 72% das startups brasileiras, faturam menos que R$50.000,00 reais por ano. Então esse número é muito crítico e representa uma situação muito complexa.

Porque além de ter uma taxa de sucesso das startups muito baixa, o volume de faturamento é inferior para, sendo que 72% ainda não faturam mais que R$50.000,00 por ano.

Do mesmo modo, a pesquisa mostra também que apenas 3% das startups faturam mais de R$500.000,00 reais por ano.

 

Principais erros cometidos pelos empreendedores, no momento de conceber a sua startup

Um dos principais erros dos empreendedores é a falta de planejamento que permita que a startup seja monetizável e ofereça um serviço rentável.

Essa falha é comum ver em startups e em alguns modelos de negócios, porque focam muito em atrair um investidor anjo e atrair o Smart Money, mas esquecem que a partir do momento que recebe o aporte, é necessário colocar a ideia em prática e gerar retorno para o investidor.

O modelo de negócio é um dos pontos fundamentais para que o empreendedor consiga lançar sua startup e ter sucesso. É importante manter o pé no chão e que seja viável dentro da realidade operacional da startup.

 

Segundo ponto, é quanto ao tamanho da solução ofertada

A startup nem sempre é um aplicativo, um produto ou projeto de software. Pode ser uma uma iniciativa que oferecer um determinado serviço,

Não necessariamente precisa ter uma tecnologia envolvida. Enfim, na sua grande maioria existe esse envolvimento tecnológico. Dessa maneira, é importante avaliar o tamanho da solução que está oferecendo no mercado.

É comum que o empreendedor quando está desenvolvendo uma ideia, queira colocar o máximo de funcionalidades possíveis dentro desta plataforma e isso é um erro muito grave.

Imagine quão complexo para o usuário e no ponto de vista de usabilidade, quando o cliente navegar por um aplicativo com muitas telas e que envolve muitos passos em um processo muito longo pode ocasionar no insucesso da ideia.

 

Trazendo um exemplo de uma ótima usabilidade

O Uber, praticamente tem uma tela, oferecendo uma solução de transporte onde o usuário consegue pedir um motorista e a usabilidade é muito simples, muito fácil para o usuário entender e utilizar.

Então é importante que a solução tente atingir uma dor do seu usuário e que resolva o problema dele bem resolvido.

 

Terceiro ponto, o feedback do usuário ou do cliente

A princípio, não adianta o empreendedor lançar uma plataforma ou lançar uma startup muito complexa, para o usuário utilizar e sem receber o feedback desse usuário.

Além disto, é estratégico lançar uma solução mais enxuta, ágil e esperar o feedback do usuário. Porque ele é o principal interessado na solução. Essa consultoria do é sem custo, para falar o que gostou ou não e o que ele espera da plataforma.

É inegável que o investimento inicial vai ser muito menor e aumenta exponencialmente as chances de sucesso.

 

Quarto ponto que vou abordar aqui, a falta de um sócio para o projeto

É provável que pela startups digitais, é comum o empreendedor querer desenvolver um aplicativo e colocar uma plataforma em desenvolvimento sem conhecimentos da estrutura tecnológica. Assim, em qualquer segmento que for investir, é necessário conhecer no que está investindo. 

De tal forma que é necessário um time envolvendo uma série de expertises e experiências de especialista , para que realmente um projeto possa acontecer. Assim também falando de startups digitais.

Aplicativo não é um produto e sim canal. Então muitos empreendedores acreditam que eles irão comprar um aplicativo e que será ofertado no mercado e a partir dali tudo vai acontecer de forma muito natural.

Por fim, a operação e a produção é complexa, porque é necessário ter um atendimento ao consumidor, CNPJ, conta em banco, contrato, termos de uso, enfim, uma série de fatores comerciais que uma empresa precisa de fato.

Quer fazer parte desse novo mundo? Fale com um de nossos consultores.

Comercial Global: +55 0800 591 3121⁣

Comercial RJ: +55 (21) 3500 8480⁣

Comercial SP: +55 (11) 4858 5910⁣

Comercial MG: +55 (34) 3211 7299⁣

Comercial Panamá City: +507 360 3462⁣

Comercial Santiago: +56 22577 4210⁣

www.crosoften.com [email protected]