Chat with us, powered by LiveChat

O que é transformação digital?

O que é transformação digital?

A transformação digital é uma estratégia utilizada para melhorar experiências, processos, operações, reduzir custos e o risco de negócio por meio de tecnologia. Mas, acima de tudo, a transformação digital é o que vai garantir a sobrevivência de empresas tradicionais em um mercado que passa por revoluções estruturais a cada segundo.

O assunto tem sido muito discutido atualmente, mas ainda causa certa confusão quando precisa ser colocado em prática pelas empresas. Muito mais do que apenas substituir tarefas e modelos analógicos, a transformação digital abrange toda e qualquer nova relação decorrente da rápida adoção da tecnologia.

Infográfico mostrando a evolução da digitalização de processos

A transformação digital vai além da digitização, pois engloba a aplicação da tecnologia em todos os aspectos da sociedade.

 

Porém, já sabemos que a tecnologia, por si só, não é diferencial. Ela pode – e provavelmente vai – ser copiada, assim como aconteceu em todos os ciclos anteriores a esse em que vivemos. Então, a grande pergunta é: como sobreviver e se destacar na era digital?

 

O cliente no centro de tudo

A resposta à pergunta acima é: a única forma de ter vantagem competitiva é colocar o cliente no centro de tudo o que a empresa faz.

É claro que as relações de compra e venda sempre dependeram dos consumidores. Isso não é novidade. Entretanto, os consumidores passaram de agentes passivos e sem voz a elementos ativos, que reivindicam o que as empresas devem oferecer e em quais condições.

Ou seja: se antes o poder da relação de consumo estava nas mãos do produtor, hoje ele se concentra no usuário. Por isso, nada mais natural e necessário do que adequar o mercado a essa realidade em que o cliente realmente é quem manda.

Assista em qualquer lugar. Cancele quando quiser.

A Netflix é uma das empresas que têm transformado o mercado ao colocar os usuários no centro dos negócios.

 

Necessidades de pessoas reais

Cada vez mais pessoas utilizam métodos digitais como parte de suas rotinas. Nubank, Uber, iFood, Netflix, Airbnb, Spotify… é difícil encontrar um brasileiro que não conheça esses nomes. Além de facilitarem a vida dos usuários, soluções como essas utilizam a tecnologia para atender às necessidades de pessoas reais com foco na geração de valor.

As mudanças trazidas por essas novas relações de consumo são características da Era Digital, do empoderamento do consumidor e estão totalmente interligadas aos conceitos de indústria e marketing 4.0.

De acordo com David L. Rogers, um dos maiores estudiosos da transformação digital, o movimento pode ser analisado a partir de 5 domínios, que vamos apresentar a seguir.

 

 

Clientes

Se você acompanhou o nosso pensamento até aqui, já deve ter percebido que o cliente tem papel fundamental na transformação digital.

Com tantas opções disponíveis, as decisões de compra são feitas com base em experiências significativas, relevantes e inovadoras. Se a sua empresa consegue entregar tudo isso, as chances de conquistar a lealdade dos consumidores aumentam, podendo levar ao fenômeno do cliente fã – que se identifica e compartilha o propósito da companhia, defendendo a marca e atuando de forma engajada na sociedade.

Basta refletir: se você precisasse escolher entre dois serviços de delivery de comida, qual deles seria a sua primeira opção e por quê?

Não ficaríamos surpresos se entre as suas justificativas estivessem elementos que fazem com que você se sinta especial aos olhos da empresa. Qualidade dos produtos e serviços, atendimento e postura nas redes sociais são apenas algumas respostas possíveis para a questão.

Esses fatores influenciam não só a escolha da marca, mas também a forma como os consumidores vão se posicionar a respeito dela, impactando diretamente a reputação da empresa no mercado.

Cena da campanha do iFood veiculada em setembro de 2018

Com posicionamento democrático e bem-humorado, o iFood é um dos casos do fenômeno do “cliente fã”.

 

Competição

Se há poucos anos os concorrentes diretos eram a principal ameaça às companhias, já não se pode mais dizer o mesmo. Com tantas inovações possíveis, hoje as empresas têm como fortes competidores soluções que talvez nem existam ainda ou novas formas de distribuição, que encurtam distâncias e eliminam intermediários.

Bons exemplos dessa nova forma de competição criada pela transformação digital são o Airbnb, que oferece serviços de hospedagem e não é dono de nem um imóvel sequer, e a Uber, que não é proprietária de nenhum dos veículos da plataforma.

Pedestre utiliza smartphone em frente à sede da Uber em São Francisco.

Com soluções disruptivas, a Uber desestabilizou o mercado de transporte mundial.

 

Dados

Algumas empresas afirmam utilizar dados em seus negócios, mas nem sempre isso é verdade. O que acontece com frequência é a coleta não planejada, desorganizada e sem critérios das informações, resultando em esforços inúteis.

Dados sem contexto não servem para muita coisa. Por isso, para implementar de fato a transformação digital, é importante investir na produção, interpretação e combinação das informações, a fim de gerar insights relevantes para a tomada de decisão.

Funcionário manuseia caixas com adesivo da Amazon Prime

A Amazon é uma das gigantes que há muito tempo utiliza business intelligence em seus negócios.

 

Inovação

A transformação digital também impacta o processo de inovação, principalmente quando pensamos no quanto é mais fácil e rápido desenvolver, testar e lançar um projeto quando a tecnologia é aplicada.

A utilização de protótipos, pesquisas com usuários reais e MVPs melhora a qualidade do aprendizado, reduz o tempo gasto e minimiza também os custos para criação de novos produtos e serviços.

Capa do livro Sprint, de Jake Knapp

A tecnologia possibilitou a rápida disseminação e adoção de métodos ágeis nas empresas. Um dos mais conhecidos atualmente são os design sprints utilizados na Google Ventures por Jake Knapp.

 

Valor

Entregar soluções de valor é um dos maiores desafios para as empresas que querem se manter relevantes no mercado e um dos pilares mais importantes da transformação digital.

Incorporar a mudança como uma constante do negócio é, mais do que questão de sobrevivência, uma das melhores formas de criar vantagem competitiva. Quem não consegue acompanhar as novas dores e necessidades dos consumidores, bem como as soluções de inovação criadas para atendê-las, corre grande risco de ficar para trás.

Billboard da campanha "Ubiquity", de Spotify

Famoso por seus algoritmos, o Spotify sugere artistas e músicas com base no gosto dos usuários.

 

Então, como fazer a transformação digital?

Agora que você já entendeu a urgência de adaptação trazida pela adoção da tecnologia, a dúvida é: como transformar a sua empresa?

Assim como em qualquer processo de mudança, existem oportunidades e desafios a serem superados. Por isso, preparamos mais dois textos sobre transformação digital. Neles, você vai:

  • Descobrir que as modificações vão muito além de sistemas e aplicativos;
  • Conhecer sugestões de implantação;
  • Ter acesso a uma lista de soluções possíveis para levar a transformação digital ao seu negócio.

Para saber mais sobre o assunto:

Saiba o que Vitor Peçanha – CEO da Rock Content – tem a dizer sobre os impactos da transformação digital na sociedade.

Assista ao vídeo da palestra de Paula Bellizia, presidente da Microsoft Brasil, que foca os 4 pontos principais da revolução tecnológica.

Fique por dentro das informações e notícias mais recentes sobre tecnologia e inovação. E, se você gostou deste artigo, compartilhe!


A CroSoften é uma empresa especializada em engenharia de sistemas e tecnologia, oferece uma série de serviços inovadores como aplicativos móveis, sistemas web e computação em nuvem, além de consultoria completa em tecnologia e marketing digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *