Sem dúvida é preciso admitir que estamos presenciando um exponencial crescimento do empreendedorismo digital. Mais que nunca tarefas do dia a dia tornaram-se atividades simplificadas, disponíveis virtualmente, na palma da mão por dispositivos móveis. 

Exemplo disso são os Bancos Digitais. Esse formato, adotado por fintechs invadiu a realidade de muitas pessoas físicas e jurídicas agregando uma série de benefícios.

Nesse sentido, ter um banco na palma da mão, sem papelada, sem dores de cabeça e a qualquer hora deixou de ser artigo de luxo, tornou-se uma realidade disponível para qualquer pessoa.

Mas entender melhor como funcionam os bancos digitais, seus benefícios e limitações é fundamental. Por isso, neste artigo esclarecemos as principais dúvidas que você pode ter sobre essa modalidade de gerenciamento financeiro.

De quebra, compartilhamos alguns exemplos de bancos que estão se destacando no cenário nacional. Confira!

O que é um Banco digital?

Antes de mais nada, é preciso esclarecer que os bancos digitais, via de regra cumprem as mesmas funções que um banco normal, físico. O grande diferencial diz respeito à sua operação.

Ao invés de ser em uma agência, localizada em um ponto X da cidade, onde você tem que enfrentar filas, pegas senhas, esperar para ser atendido e um horário limitado, você passa a ter outra realidade de relação com o banco e com seu dinheiro.

Todas as transações ocorrem completamente em meio virtual.

O que isso representa? Facilidades! Primeiramente, você abre uma conta online, a seguir investe e gerencia o seu capital com as facilidades de um aplicativo no computador ou no celular.

3 passos para ter uma conta digital

Se acaso você ficou interessado em ter sua própria conta digital, nós elencamos os 3 passos fundamentais para isso. E acredite, é realmente muito simples:

  • Baixe o aplicativo no seu celular (Android ou IOS) o aplicativo do banco desejado;
  • Preencha o seu cadastro com seus dados de identificação;
  • Envie fotos ou uma versão digital dos seus documentos.

E sim, é só isso mesmo. Uma vez que você tenha criado o cadastro, basta aguardar a análise de crédito e a aprovação.

Vantagens dos Bancos Digitais

Menos burocracia

Por certo, como apresentamos nos passos de abertura de conta, um fator preponderante na escolha de um banco digital é a redução na burocracia.

Com todas as atribuições do dia a dia, tudo o que mais se quer é desburocratizar as atividades e com o advento dos bancos digitais, basta ter o seu celular em mãos pagar poder resolver tudo: pagar contas, controlar recebimentos, fazer investimentos, acompanhar o consumo do seu cartão de crédito.

Falando em investimento… Há uma tendência de que os bancos digitais tenham sua própria plataforma de investimentos. Desse modo, o próprio usuário, se desejar investir (até mesmo em tesouro direto), no entanto, não dependa de uma empresa corretora de investimentos. Podendo ele mesmo gerir seu capital e empregá-lo naquilo que achar mais eficiente.

Custos mais baixos

Uma questão que muito preocupa a todos quando o assunto é banco, é a questão das tarifas. As incontáveis tarifas bancárias incidentes sobre toda e qualquer operação, acabam representando um considerável impacto nas finanças de quem adquire um crédito.

O que ocorre é que os bancos digitais, justamente por não ter uma operação física, podem oferecer os mesmos serviços que um banco comum. Porém, a um custo muito mais baixo, com taxas administrativas muito mais atrativas.

No entanto, o que lhe confere um grande diferencial é o fato de não haver cobrança de taxa de manutenção de conta. Ou seja, sem surpresas desagradáveis pesando no seu bolso!

São práticos e seguros

Apesar de todas as transações serem simplificadas, os bancos digitais seguem um rigoroso sistema de segurança. Essas instituições também precisam seguir padrões de validação e autenticação para movimentações financeiras, gerando protocolos de segurança e criptografia de dados.

Portanto, nessa lógica de facilitação, você ganha muito mais praticidade para efetuar todos as movimentações necessárias, desde uma simples conferência de saldo, até a contratação de crédito.