Neste cenário pandêmico em que o mundo vive, inúmeros setores foram obrigados a se adaptarem ou mesmo se reinventarem no mercado. Fazendo da tecnologia a sua maior aliada para conseguir se manter e passar por esta crise que pegou muitos de sobressalto.

Perceberam que na tecnologia está o futuro e que a inovação digital veio para ficar. Assim, quebrando uma parede de gelo cheio de paradigmas e talvez um pouco de ‘pré-conceito’ que muitos tinham sobre a usabilidade e fortalecimento das ferramentas digitais. 

E percebendo que as atividades poderiam acontecer de forma digital, muitas empresas, microempresários e trabalhadores individuais. Foram atrás de empreiteiras que desenvolvem softwares e desenvolvedores para criar alguma aplicação que possa inovar e salvar o negócio durante a crise.

 

Portanto, houve um boom na procura desses profissionais na área de desenvolvimento. 

 

Segundo um levantamento produzido no ano passado pela Tiobe, que é uma organização especializada em qualidade de software, foram mencionadas cerca de 250 linguagens em uso mundialmente nas soluções de TI online e offline.

Com essa diversidade, é natural que a área seja contemplada com salários e benefícios que diversas outras não têm, como flexibilidade de horário e trabalho remoto, por exemplo.

As habilidades em tecnologia mais procuradas, levando em consideração as que mais apareceram nas vagas de emprego entre 2014 e 2019. Foram usados mais de 500 termos de habilidades técnicas para consultar as descrições de cargos publicados.

Para os profissionais de tecnologia, agora o momento é de vocês. Se querem que queiram se qualificar e dar um upgrade no currículo. Veja as 5 linguagens que mais apareceram no levantamento e o motivo da demanda:

 

Java

Com a ascensão da internet, a criadora da linguagem (a Sun, que posteriormente foi vendida à Oracle) passou a implementar em aplicações web e hoje é amplamente utilizada em diversos ambientes, desde smartphones até servidores, o que a torna uma das tecnologias mais requisitadas do mercado.

Além disso, também é uma das principais referências em orientação a objetos e escalabilidade, tornando-se uma ótima opção para quem deseja iniciar na área e trabalhar no desenvolvimento back-end em aplicações web.

De código aberto, é usada por empresas como Twitter, Netflix e aplicativos Android, devido à fácil adaptação com o crescimento e a retrocompatibilidade com versões antigas do código, que continuam sendo reconhecidas por versões mais atualizadas.

 

Phyton

A linguagem, usada há quase trinta anos, volta a cair no gosto de programadores em função do aumento do uso em aplicações Web, fácil curva de aprendizado e sintaxe flexível. Com apenas algumas linhas, é possível criar diversas funcionalidades.

Phyton está presente em diversos softwares e é usado por empresas como Spotify e Dropbox. Sua utilização vem se disseminando em soluções de aprendizado de máquina, o machine learning, e em inteligência artificial. Entre 2014 e 2019 a demanda pela linguagem aumentou 123% no mercado americano.

 

Ruby

Voltada à produtividade e com uma curva de aprendizado facilitada, a fama se deve, em partes, ao framework Ruby on Rails, que é usado no desenvolvimento de aplicações web pelo Twitter e Airbnb, entre outras grandes empresas.

A única ressalva para a linguagem é a baixa escalabilidade, demandando mais poder de processamento para lidar com os erros admitidos no código do programador.

 

PHP

É uma das linguagens mais conhecidas para o desenvolvimento back-end em aplicações web, nas manipulações no front-end e na interação com o banco de dados, gerando produtividade ao profissional.

Existem diversas oportunidades de trabalho para quem desenvolve com PHP e isso se deve, em grande parte, à ampla utilização em blogs, sites e, principalmente, gerenciadores de conteúdo como WordPress.

Em aplicações web, permite incluir mais funcionalidades em uma página, o que normalmente é mais do que o HTML consegue. Também é útil na integração entre o banco de dados MySQL e as páginas dos sites.

 

Na corrida pelo destaque, existem alguns perfis profissionais que são mais procurados — e melhor remunerados também.

1# Desenvolvedores

Responsáveis pela resolução de problemas por meio da tecnologia e desenvolvimento de softwares.

Esses profissionais correspondem a 40% das vagas no mercado de trabalho de TI , de acordo com levantamento sobre as áreas mais quentes para profissionais de TI, da Conquest One.

Isso porque são os responsáveis pela criação de softwares, sistemas e aplicativos, como também, recursos que alavancam qualquer negócio. A grande demanda está no desenvolvimento de soluções mobile , ciência de dados e também em sistemas orientados à Internet das Coisas (IoT).

 

2# Suporte técnico

Quem vive de tecnologia precisa de suporte o tempo todo, por isso, a área técnica também está em alta e registrou cerca de 30% das vagas em 2016, de acordo com a Computer World.

Em 2017 e 2018 a média se manteve. Essa área de TI tem como principal desafio manter todo o parque tecnológico das empresas em perfeito funcionamento, mitigando riscos e resolvendo problemas.

3# DBA

Administradores de bancos de dados também figuram entre os profissionais mais procurados na área de TI. 26% das empresas alegam ter planos de contratar esses profissionais nos próximos meses, devido à grande quantidade de informação. Gerada pelas empresas ao longo de suas trajetórias, ainda de acordo com a Computer World. 

Apesar do crescimento dessas áreas, conseguir boas oportunidades de carreira não é uma tarefa simples. Ao propósito, é fundamental aprimorar constantemente seus conhecimentos e entender o que as empresas buscam de cada perfil profissional.

No mercado de TI, o que você precisa saber para se destacar?

 

É importante destacar que as demandas mudam constantemente, então, adaptabilidade é um dos pontos chaves no mercado de TI.

Além disso, há oportunidades desde posições que exigem um forte embasamento teórico e de arquitetura de sistemas. Onde brilham linguagens como C#, VBA, .NET e Python. Até porque, as posições voltadas para Front-End que exigem conhecimentos em softwares específicos como Photoshop, Illustrator e alto senso estético.

 

O ideal é estudar as empresas com as quais você se identifica.

Com efeito, também conversar com profissionais que já ocupam cargos que você procura, assim, trilhar uma carreira de constante crescimento e aprendizado, aprofundando-se nos conceitos que mais domina.

Melhorando o currículo

Não se esqueça de que no mercado de trabalho de TI, de fato, é vital buscar certificações profissionais em cada uma das áreas em que você se especializar. São as certificações que enriquecerão seu currículo e trarão mais oportunidades de trabalho.

Em seguida, outro diferencial é não ficar apenas na área técnica, mas buscar capacitação e certificações na área de gestão, como é o caso de governança em TI e gerenciamento de projetos. Uma certificação PMP, por exemplo, abre portas para que você se torne líder de projetos na empresa e avance ainda mais na carreira.

Afinal, você já atua em alguma dessas áreas de TI? Quais conhecimentos considera indispensáveis para se tornar um bom profissional?