Já se perguntou, como é possível proteger sua empresa com o auxílio de uma segurança na nuvem, ou cloud security, é a proteção de dados, aplicações e infraestruturas envolvidas na cloud computing?

Sim, é confiável e pode reduzir os custos da sua empresa, porque existem muitos aspectos da segurança de ambientes de nuvem – pública, privada ou híbrida – são os mesmos de qualquer arquitetura de TI on-premise.

Justificativa. Afinal de contas, o uso da Cloud é relativamente novo e pensar que dados valiosos para o seu negócio ou organização estarão em um ambiente virtual, pode ser um tanto quanto assustador.

Mas o fato é que já não há tanto com o que se preocupar, muito pelo contrário. Com o advento da Cloud, viu-se também a necessidade de proteger estes dados e estas aplicações com certificações sofisticadas e criptografia de ponta a ponta.

Hoje, é possível afirmar que ambientes de nuvem pública são mais seguros do que ambientes com data centers tradicionais.

 

O que é Segurança em Nuvens?

A segurança da computação na nuvem é um serviço em rápido crescimento que oferece muitas das mesmas funcionalidades que a segurança de TI tradicional. Isso inclui a proteção de informações essenciais contra roubo, vazamento de dados e exclusão.

Um dos benefícios dos serviços de nuvem é que você pode operar em escala e permanecer seguro. Ela é semelhante a como você gerencia atualmente a segurança, mas, agora, você tem outras maneiras de disponibilizar soluções de segurança que contemplam novas áreas de prioridade.

Assim, não alterando o método de gerenciamento da segurança, passando de ações de prevenção para ações de detecção e correção. No entanto, ela disponibiliza a capacidade de executar essas ações de modo mais ágil.

Por sua vez, seus dados estão protegidos dentro de datacenters e, nos poucos países que exigem que os dados sejam armazenados localmente, a escolha de um provedor que tenha vários datacenters espalhados pelo mundo pode ajudar a alcançar esse objetivo.

Geralmente, o armazenamento de dados inclui determinados requisitos de conformidade, especialmente durante o armazenamento de números de cartão de crédito ou informações de saúde.

Claro que, muitos provedores de nuvem oferecem relatórios de auditoria independentes elaborados por terceiros para atestar que seu processo interno existe e é eficaz no gerenciamento da segurança dentro de suas instalações durante o armazenamento de dados.

 

Como qualquer ambiente de computação, a segurança na nuvem inclui a manutenção de medidas de proteção preventivas para que você:

  • Tenha certeza de que os dados e os sistemas estão seguros.
  • Tenha visibilidade sobre o estado atual da segurança.
  • Saiba imediatamente se algo incomum acontecer.
  • Acompanhe e solucione eventos inesperados.

 

O que há de diferente na segurança na nuvem?

Decerto, muitas pessoas conhecem os benefícios da cloud computing, mas elas se sentem igualmente intimidadas pelas ameaças à segurança.

Mesmo assim, é difícil compreender algo que existe entre os recursos abstratos enviados pela Internet e o servidor físico. Trata-se de um ambiente dinâmico onde tudo está sempre mudando, como as ameaças à segurança.

O fato é que, na maioria das vezes, a proteção da nuvem é a segurança da TI. Ao entender todas as diferenças específicas, o termo “cloud” vai soar mais natural e seguro para você

Quebra de perímetros

A segurança está muito relacionada ao acesso. Os ambientes tradicionais costumam controlá-lo usando um modelo de segurança por perímetro.

Os ambientes de cloud computing estão altamente conectados, o que facilita a passagem do tráfego pelas defesas tradicionais de perímetro. Interfaces de programação de aplicações (APIs) não seguras, gerenciamento fraco de identidades e credenciais, invasões de conta e usuários internos mal-intencionados são ameaças ao sistema e aos dados.

Para impedir o acesso não autorizado à nuvem, você precisa de uma abordagem centrada nos dados. Criptografe os dados. Fortaleça o processo de autorização. Exija senhas mais fortes e use a autenticação em dois fatores. Crie segurança em cada nível.

 

Atualmente, tudo é baseado em software

Assim, o termo “nuvem” ou “cloud”, se refere aos recursos hospedados que são entregues ao usuário por meio de um software. As infraestruturas de cloud computing – e todos os dados processados por elas – são dinâmicas, escaláveis e portáteis.

Eventualmente, seja como partes inerentes das cargas de trabalho. Por exemplo, criptografia ou de forma dinâmica por meio de APIs e sistema de gerenciamento de nuvem.

No entanto, os controles de segurança precisam responder às variáveis do ambiente e acompanhar as cargas de trabalho e os dados tanto em repouso quanto em movimento. Dessa forma, você protege os ambientes de cloud computing contra a deterioração do sistema e perda de dados.

 

Cenário de ameaças sofisticadas

Salvo que as ameaças sofisticadas englobam tudo o que afeta negativamente a computação moderna, incluindo a cloud computing. Afinal, os malwares cada vez mais sofisticados e outros ataques, como as ameaças persistentes avançadas (APTs), foram projetados para burlar as defesas de rede, tendo como alvo as vulnerabilidades no stack de computação.

Sobretudo, as violações de dados podem resultar em adulteração e divulgação não autorizada de informações. Não há uma solução evidente para essas ameaças. No entanto, você tem a responsabilidade de se manter atualizado sobre as práticas de segurança na nuvem que estão evoluindo para acompanhar os novos riscos.

 

A segurança na nuvem é responsabilidade de todos

Seja qual for o seu tipo de implantação de nuvem, é sua responsabilidade protegê-la. Assim, usar uma nuvem com manutenção terceirizada não elimina suas responsabilidades e preocupações.

Com efeito, uma das principais causas das falhas na segurança é a falta de diligência prévia. A segurança na nuvem é responsabilidade de todos. Isso inclui:

 

Usar softwares confiáveis

Entender a conformidade

Gerenciar os ciclos de vida

Considerar a portabilidade

Monitoramento contínuo

Escolher a equipe certa

 

Segurança na nuvem pública

Ao invés de falar sobre as diferenças de segurança nas três implantações de nuvem (pública, privada e híbrida), vamos abordar o que está em questão:

“As nuvens públicas são seguras?”. De fato, a resposta depende de alguns fatores.

As nuvens públicas oferecem a segurança apropriada para diversos tipos de carga de trabalho. Embora, elas não são adequadas para tudo, principalmente porque elas não têm o isolamento das nuvens privadas.

As nuvens públicas oferecem suporte a múltiplos locatários. Ou seja, você aluga capacidade de computação (ou espaço de armazenamento) do fornecedor de serviços de nuvem junto com outros “locatários”.

Cada um deles assina um SLA com o fornecedor, que documenta quem é responsável pelo quê. É muito parecido com o aluguel de um espaço físico.

O proprietário (fornecedor da nuvem) se compromete a manter o edifício (infraestrutura em nuvem), guardar as chaves (acesso) e não perturbar o locatário (privacidade).

Em retorno, o locatário promete não fazer nada que afete negativamente a integridade do edifício ou incomode os vizinhos (por exemplo, executar aplicações não seguras). No entanto, não é possível escolher seus vizinhos.

 

Consequentemente, existe uma probabilidade de haver ameaças à segurança.

É provável que a equipe de segurança de infraestrutura do fornecedor da nuvem fique de olho nos eventos incomuns, as ameaças escondidas ou agressivas – como ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS) maliciosos – ainda podem afetar negativamente outros locatários.

Felizmente, há alguns padrões de segurança, regulamentos e estruturas de controle aceitos pelo setor, como o Cloud Controls Matrix da Cloud Security Alliance.

Também é possível se isolar em um ambiente de vários locatários ao implantar mais medidas de segurança, como criptografia e técnicas de redução de DDoS, que protegem as cargas de trabalho contra uma infraestrutura comprometida.

Do mesmo modo, se isso não for suficiente, será possível implantar brokers de segurança de acesso à nuvem para monitorar as atividades e aplicar políticas de segurança em funções corporativas de baixo risco. No entanto, tudo isso pode não ser suficiente nos setores que operam sob regulamentos rígidos de privacidade, segurança e conformidade.

 

Diminua os riscos com a nuvem híbrida

As medidas de segurança estão muito relacionadas à tolerância a riscos e à análise do custo-benefício. Como os possíveis riscos e benefícios afetam a integridade geral da organização? O que é mais importante?

Isto é, nem toda carga de trabalho requer o mais alto nível de criptografia e segurança. Pense da seguinte forma: trancar a porta de casa mantém todos os pertences relativamente seguros, mas você ainda pode querer guardar os objetos de valor em um cofre. Em suma, bom ter opções.

 

Conclusção

É por isso que cada vez mais empresas estão adotando as nuvens híbridas, que proporcionam o que há de melhor em todas as nuvens. A nuvem híbrida é a combinação de dois ou mais ambientes de nuvem (pública ou privada) interconectados.

Com as nuvens híbridas, é possível escolher a localização das cargas de trabalho e dos dados com base nos requisitos de conformidade, auditoria, política ou segurança.

Isso mantém as cargas confidenciais protegidas na nuvem privada, enquanto você opera as mais comuns na nuvem pública.

Como resultado, há alguns desafios de segurança específicos da cloud híbrida, como migração de dados, maior complexidade e extensa superfície de ataque. No entanto, a presença de vários ambientes é uma das defesas mais fortes contra os riscos à segurança.

O mundo não pode parar! Essa talvez seja a grande lição que tiramos dessa pandemia. Venha fazer parte desse novo mundo! Fale com um de nossos consultores!

Preencha o formulário em nosso site ou envie um e-mail para: [email protected].